sábado, 17 de setembro de 2016

PARLAMENTO DE BUDAPESTE / HUNGRIA - Estima-se que foram usados 40 milhões de tijolos, meio milhão de pedras preciosas e 40 kg de ouro em sua construção




LINHA DO TEMPO DO "PARLAMENTO DE BUDAPESTE" / HUNGRIA 
Localizado junto ao Danúbio, o prédio do Parlamento é uma das principais construções de Budapeste e certamente a mais atraente. Reza a lenda que foi inspirado no Palácio de Westminster de Londres, com a adição de torres com em estilo gótico. De tempos em tempos ganha uma limpeza para retirar a fuligem de suas estruturas externas, que ganham aspecto enegrecido (e mais fotogênico, diga-se). O melhor local para fotografar o Parlamento é do outro lado do rio, no morro do castelo, mas para os interessados em visitar o prédio, duas excursões diárias com guias em inglês podem ser agendadas.
Parlamento de Budapeste (em húngaro: Országház) é o local onde se reúne a Assembleia Nacional da Hungria, e um dos edifícios legislativos mais antigos da Europa, que constitui um notável exemplo paisagístico da Hungria e um destino muito popular em Budapeste.
Ergue-se na Praça Kossuth Lajos, na margem do Danúbio. Atualmente detém o título de maior edifício da Hungria, e o de segundo maior parlamento na Europa.
Budapeste foi constituída da união de três cidades em 1873 e, sete anos depois, a Assembleia Nacional publicou um concurso para a construção de um edifício representativo do Parlamento, que fosse símbolo da soberania da nação. 
A competição foi vencida por Imre Steindl, embora os planos dos outros dois concorrentes tenham sido também realizados em frente ao Parlamento: um serve hoje como o Museu Etnográfico, e outro como Ministério da Agricultura.
A construção do projeto vencedor teve início em 1885, tendo a inauguração decorrido no 1000º aniversário do país em 1896. A conclusão do edifício deu-se a 1904. Como curiosidade, o arquiteto do edifício tornou-se vítima de cegueira antes da conclusão do mesmo.
O edifício fica sobre a superfície de 18 000 metros quadrados tem 700 salas e gabinetes, 27 entradas, nos seus 2 lados simétricos erguem-se a Câmara Alta e a Câmara Baixa, hoje é o lugar da assembléia nacional com 386 deputados. Tem uma sala central com cúpula, onde guardam a coroa do primeiro rei húngaro, do Santo Estêvão.
Estima-se que estiveram cerca de mil pessoas envolvidas nos trabalhos, em cujos alicerces se estimam 40 milhões de tijolos, meio milhão de pedras preciosas e 40 kg de ouro.

fonte / fotos = Wikipédia / Thymonthy Becker / viajeaqui.abril.com.br / 


VALEU PELA VISITA

PRAIAS ASIÁTICAS - Japão, Malásia, Índia, Vietinã, Filipinas, Indonésia, Tailândia. Conheça as 10 melhores praias asiáticas na avaliação de turistas




LINHA DO TEMPO DAS "10 MELHORES PRAIAS DO CONTINENTE ASIÁTICO" / WORLD
Foto acima: Visit Maldives / Divulgação
MIYAKOJIMA, JAPÃO
AS ILHAS MIYAKO, NO SUL DO JAPÃO, TÊM CLIMA SUBTROPICAL E PRAIAS QUASE DESERTAS QUE AS FAZEM PARECER MAIS COMO O CARIBE DO QUE COM A ÁSIA. A 3 HORAS DE VOO DE TÓQUIO, MIYAKOJIMA É O CORAÇÃO E A MAIOR DAS ILHAS MIYAKO. COM ALGUMAS DAS PRAIAS MAIS BONITAS DO ARQUIPÉLAGO, MIYAKOJIMA É TAMBÉM UM PONTO DE ACESSO PARA AS OUTRAS ILHAS DO ARQUIPÉLAGO, COMO IRABU, IKEMA OU MINNA, PEQUENA ILHA CERCADA POR BARREIRASDECORAL
Foto: JNTO / Divulgação
LANGKAWI, MALÁSIA
LANGKAWI É UM ARQUIPÉLAGO DE CERCA DE 100 ILHAS NO LITORAL OESTE DA MALÁSIA. PRINCIPAL DESTINO TURÍSTICO DO PAÍS, LANGKAWI ESTÁ CERCADO POR UM MAR TURQUESA E TEM PRAIAS COMO PANTAI CENANG, PANTAI TENGAH E PANTAI KOK, COM AREIA FINA E UMA INFRAESTRUTURA DE QUALIDADE
Foto: Malaysia Tourism / Divulgação
PHUKET, TAILÂNDIA
A ILHA DE PHUKET É UM DOS DESTINOS MAIS POPULARES DA TAILÂNDIA, COM UM LITORAL DIVIDIDO EM BAÍAS QUE FORMAM PRAIAS PARADISÍACAS E RESERVADAS APESAR DO GRANDE NÚMERO DE TURISTAS. O LADO DO BOM DO TURISMO É O AMBIENTE DIVERTIDO E AGITADO, COM UMA VIDA NOTURNA DIVERSA, PRINCIPALMENTE NO CENTRO DA CIDADE DE PHUKET E EM PATONG BEACH
Foto: The Tourism Authority of Thailand / Divulgação
KOH SAMUI, TAILÂNDIA
NO GOLFO DA TAILÂNDIA, KOH SAMUI COMEÇOU A VIRAR UM DESTINO TURÍSTICO PARA MOCHILEIROS NOS ANOS 70 MAS COM O TEMPO, O TIPO DE PÚBLICO SE AMPLIOU. AS PRAIAS DE KOH SAMUI TÊM TUDO O QUE SE PODE SONHAR DE UM PARAÍSO TROPICAL: AREIAS BRANCAS, PALMEIRAS E ÁGUAS CRISTALINAS, ALÉM DE ESCOLHA ENTRE PRAIAS BADALADAS E AGITADAS E PRAIAS DESERTAS SEM OUTROS TURISTAS À VISTA
Foto: The Tourism Authority of Thailand / Divulgação
BALI, INDONÉSIA
COM ALGUMAS DAS MELHORES ONDAS DO MUNDO E UM CLIMA ÓTIMO, BALI É UM PARAÍSO PARA OS SURFISTAS. MAS AQUELES QUE PREFEREM APENAS RELAXAR TAMBÉM ENCONTRAM SUA FELICIDADE, COM PRAIAS DE AREIA BRANCA OU PRETA, EM LUGARES COM BOA INFRA ESTRUTURA TURÍSTICA E MUITO AGITO COMO KUTA BEACH , E PRAIAS MAIS TRANQUILAS COMO LOVINA BEACH
Foto: stock.xchng / Divulgação
BORACAY, FILIPINAS
A ILHA FILIPINA DE BORACAY FIGURA FREQUENTEMENTE AS LISTAS DE MELHORES ILHAS DO MUNDO. A 300 KM DE MANILA, CAPITAL DO PAÍS, BORACAY TEM PRAIAS FANTÁSTICAS COMO WHITE BEACH, NO OESTE DA ILHA, COM CAFÉS E RESTAURANTES ESCONDIDOS PELAS PALMEIRAS, OFERECENDO UMA PAISAGEM PRESERVADA E OPÇÕES PARA SERESTAURAR
Foto: Fotoseeker / Divulgação
PHU QUOC, VIETNÃ
MAIOR ILHA DO VIETNÃ, É CHAMADA DE "ILHA ESMERALDA" PELA FARTA VEGETAÇÃO QUE COBRE SEU INTERIOR. NO QUE DIZ RESPEITO ÀS PRAIAS, PHU QUOC TEM OPÇÕES VARIADAS PARA OS QUE QUEREM CURTIR TRANQUILIDADE. A PRAIA DE VUNG BAU É UMA DAS MAIS CONHECIDAS, E MANTÉM SE QUASE INABITADA, A NÃO SER POR ALGUMAS CASINHAS DE LOCAIS E ALGUNS RESTAURANTES PARA TURISTAS. AS ILHAS PRÓXIMAS SÃO AINDA MAIS DESERTAS E TÊM PONTOS EXCEPCIONAIS PARA A PRÁTICA DO MERGULHO
Foto: stock.xchng / Divulgação
GOA, ÍNDIA
NO LITORAL OESTE DA ÍNDIA, GOA TEM CERCA DE 100 KM DE LITORAL E É UM DESTINO CONHECIDO PELAS SUAS PRAIAS E PELA ARQUITETURA EUROPEIA NA CAPITAL, PANAJI, REGISTRO DOS 450 ANOS DURANTE OS QUAIS A REGIÃO FOI COLÔNIA DE PORTUGAL. OS MESES CORRESPONDENTES AO VERÃO DO BRASIL SÃO OS QUE TÊM AS TEMPERATURAS MAIS AGRADÁVEIS PARA APROVEITAR AS PRAIAS IDÍLICAS DE GOA. ANJUNA, BAGA E CALANGUTE SÃO ALGUMAS DESTAS PRAIAS, QUE COMBINAM BELEZAS NATURAIS COM UM AMBIENTE FESTIVOEMISTICO
Foto: stock.xchng / Divulgação
KOTA KINABALU, MALÁSIA
A 1600 KM DE KUALA LUMPUR, NA ILHA DE BORNÉU, A CIDADE DE KOTA KINABALU É A PORTA DE ENTRADA PARA MAIS DE 1400 KM DE LITORAL COM ALGUNS DOS MAIS BELOS LUGARES DA ÁSIA. PRAIAS COMO TANJUNG ARA, PERTO DE KOTA KINABALU, OU ILHAS COMO PULAU GAYA, PULAU SAPI E PULAU MANUKAN, A UMA CURTA DISTÂNCIA DE BARCO, TÊM TUDO PARA SATISFAZER O MAIS EXIGENTE TURISTA
Foto: Malaysia Tourism / Divulgação
MALDIVAS
AS MALDIVAS TÊM MAIS DE 20 ATÓIS E MAIS DE MIL ILHAS E ILHOTAS NO OCEANO ÍNDICO, AO SUL DO LITORAL DA ÍNDIA. CADA CANTO DO ARQUIPÉLAGO É UM CARTÃO POSTAL, UM SONHO PARA CASAIS EM LUA DE MEL E TURISTAS DO MUNDO INTEIRO. ALGUNS DOS MELHORES RESORTS DO PLANETA ENCONTRAM-SE EM ATÓIS COMO KUDA HURAA E LANDAA GIRAAVARY

fotos / fonte = Thymonthy Becker / Forbes / 




MARANHÃO / BRASIL - Uma mistura francesa, portuguesa, holandesa, bem brasileira. Afinal, onde mais se vê um deserto de areias brancas com milhares de lagoas cristalinas




LINHA DO TEMPO DO "MARANHÃO" / BRASIL
Maranhão. Até hoje não se sabe ao certo o que a palavra significa. Mas basta seus pés a terra tocar para ter a certeza da sua grandeza, seus encantos e sua energia. Uma mistura francesa, portuguesa, holandesa, bem brasileira. Um destino único. Afinal, em que lugar do mundo é possível presenciar o encontro da Amazônia com o mar? Onde mais se vê um deserto de areias brancas com milhares de lagoas cristalinas? Onde mais se pode apreciar o maior acervo de azulejos portugueses fora de Portugal? 
Tudo isso e muito mais é o Maranhão. Cenários naturais raros. Povo com raça, com graça, com fé. 
Patrimônio histórico, cultural e arquitetônico reconhecido pelo mundo. Sabor e afeto. Descanso e diversão. As festas, a dança, o toque e os sotaques fazem parte da vida desse estado onde originalidade e tradição se misturam a uma culinária singular. O encontro da poesia com a natureza, do esporte com a aventura, da fala com o sorriso, da fauna com a flora. Maranhão dos azulejos, dos seus casarões ao branco sem fim das suas dunas. Da batida dos seus tambores ao charme da sua arquitetura. Maranhão de lugares que, pelo menos uma vez na vida, merecem ser conhecidos, vividos e experimentados.
Estado do Maranhão / Brasil
Capital - São Luis 
População estimada 2016 - 6.954.036 
Área 2015 (km²) - 331.936,955 
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 19,81 
Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (Reais)(1) - 509,00 
Número de Municípios - 217 
HISTÓRICO 
Maranhão é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Sua área é de 331 937,450 km², possuindo 217 municípios, sendo o segundo maior estado da Região Nordeste do Brasil e o oitavo maior estado do Brasil. A capital e cidade mais populosa do Maranhão é São Luís. As principais atividades econômicas são a indústria (o trabalho de transformar alumínio e alumina, alimentícia, madeireira), os serviços, o extrativismo vegetal (babaçu), a agricultura (mandioca, arroz, milho) e a pecuária. 
O Rei de Portugal Dom João III dividiu a região do Maranhão em duas capitanias hereditárias, que o monarca entregou a Aires da Cunha e Fernando Álvares de Andrade, no ano de 1535. A partir de então, até os franceses se estabelecerem em 1612 (França Equinocial), o conhecimento da área não foi tomado por Portugal. Em 1615, os portugueses, sob a liderança de Jerônimo de Albuquerque, expulsaram os franceses e, em 1621, foi instituído o Estado do Maranhão e Grão-Pará (algumas fontes dão a entender que a Capitania do Maranhão coexistiu com o Estado, não tendo sido elevada, o Estado era uma colônia separada do Estado do Brasil). Em 1641, foi ocupada pelos neerlandeses a ilha de São Luís, de onde os portugueses os expulsaram em 1644. Desde então, foi consolidado o domínio português. Em 1774, o Estado do Maranhão e Piauí se desmembrou do Estado do Grão-Pará e Rio Negro. O Maranhão apenas aceitou a independência do Brasil em 1823, porque Portugal o defendeu muito fortemente, e somente depois que o almirante Lord Cochrane interveio, a pedido de Dom Pedro I. Em 1831, foi irrompida a Setembrada, que pregou que fossem expulsos os portugueses e os frades franciscanos, e, em 1838, a Balaiada, um movimento popular que contrariava a aristocracia rural. A economia declinou devido ao fato de que Princesa Isabel aboliu a escravidão. 
O MARANHÃO 
Localizado entre as regiões Norte e Nordeste do Brasil, o Maranhão possui uma grande diversidade de ecossistemas. São 640 quilômetros de extensão de praias tropicais, floresta amazônica, diversas variedades de cerrados, mangues, delta em mar aberto e o único deserto do mundo com milhares de lagoas de águas cristalinas. Também é perceptível, na maior parte do ano (entre os meses de maio a novembro), a seca branda na Microrregião das Chapadas do Alto Itapecuru, acentuadamente em São João dos Patos e Barão de Grajaú. Essa diversidade está organizada em cinco polos turísticos, cada um com seus atrativos naturais, culturais e arquitetônicos. São eles: o polo turístico de São Luís, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, o Parque Nacional da Chapada das Mesas, o Delta do Parnaíba e o polo da Floresta dos Guarás. 
A capital do Estado do Maranhão, São Luís, eh uma ilha
Apesar do imenso litoral de 640 km de extensão e estando sob influência do domínio climático nordestino, no Maranhão o turismo tradicionalmente ofertado se diferencia dos outros destinos do Nordeste do Brasil, que se baseiam no turismo de sol & praia, maior potencial da região. 
Realmente o Maranhão possui incontestável riqueza hidrográfica, que acabou por moldar as paisagens culturais e o dia a dia dos municípios, comunidades ribeirinhas e povoados localizados às suas margens, que se desenvolveram, sobretudo por meio da economia do arroz, da pesca, da extração do óleo de babaçu e da cera de carnaúba, palmeiras típicas do estado. 
Mas é também uma terra de cultura e história imponentes, herança cultural dos movimentos colonizadores europeus – francês, holandês e português. Entre fortificações, conflitos de colonos e religiosos missionários, entre as influências da Companhia do Comércio do Maranhão e do Grão Pará, e da influência das economias da cana-de-açúcar e do algodão, os movimentos colonizadores se desenrolaram em território maranhense a partir do século XIX, marcando seu desenvolvimento e deixando um importante acervo histórico e arquitetônico como legado. 
Uma das inúmeras belíssimas praias do Maranhão. Esta fica em São Luís, Maranhão
PRINCIPAIS CIDADES DO MARANHÃO 
SANTO AMARO DO MARANHÃO 
Afastado do burburinho de Barreirinhas, Santo Amaro do Maranhão vem sendo chamado de “paraíso escondido dos Lençóis”. Por anos, o difícil acesso manteve o município, que é a entrada oeste do Parque Nacional, longe dos turistas. Até hoje, suas dunas e lagoas, ainda mais bonitas que as de Barreirinhas, recebem poucos visitantes, o que acentua o clima místico do local. Seja na Lagoa da Gaivota (onde foi rodado o filme Casa de Areia), seja na Lagoa Betânia, a ordem é aproveitar a paisagem em meio ao silêncio. 
Praça central da cidade de Santo Amaro, Maranhão
As águas desta lagoa em Santo Amaro, Maranhão são mornas. 
foto - Ricardo Junior
ALCÂNTARA 
Alcântara já foi uma das cidades mais ricas do Maranhão entre os séculos 18 e 19, mas muito do patrimônio histórico se perdeu. Vestígios do passado podem ser vistos em sobrados coloniais cobertos por azulejos portugueses, nas ruínas do mercado de escravos Palácio Negro e no prédio da prefeitura, onde funcionou uma cadeia pública no século 18. Defronte à Praça do Pelourinho estão as ruína da Igreja Matriz de São Matias e o interessante Museu Histórico, um belo exemplar da arquitetura de época. 
Casario Colonial em Alcântara, Maranhão
Decoração para a Festa do Divino em Alcântara, Maranhão
Igreja de Nossa Senhora do Carmo em Alcântara, Maranhão
Igreja de São Matias em Alcântara, Maranhão
Praça do Pelourinho com as ruínas da Igreja de São Matias em Alcântara, Maranhão
Praia em Alcântara, Maranhão 
CAROLINA 
É a principal base para visitar as cachoeiras, formações rochosas e cânions da Chapada das Mesas. A maioria dos passeios exige veículo 4x4 – que pode ser alugado, com guia, nas agências de turismo da cidade.
Praça central da cidade de Carolina, Maranhão
A belíssima Praia de Carolina, Maranhão
IMPERATRIZ 
A segunda maior cidade do Maranhão tem um bom número de hotéis e restaurantes, servindo de parada para motoristas que trafegam pela Belém-Brasília - ao viajar à noite pela rodovia, tome cuidado com assaltos, principalmente no sentido Pará. 
Avenida central de Imperatriz, Maranhão
Cachoeira da Pedra Caída em Imperatriz, maranhão
VILAREJO DE CABURÉ 
Com a menor estrutura turística da região, o calmo vilarejo de Caburé é ponto de parada dos passeios de quadriciclo e de barco pelo Rio Preguiças (veja em Barreirinhas). Aproveite para conhecê-lo num bate e volta. O principal atrativo é a praia de dunas, que tem alguns trechos malcuidados. 
No pequeno vilarejo de Caburé onde é possível tomar banho de mar, banho de rio, almoçar e ainda tirar uma soneca nas redes depois do almoço.

 ATINS 
Banhada tanto pelo Oceano Atlântico quanto pelo Rio Preguiças, Atins é uma vila de pescadores que é a entrada leste para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Aqui, a rusticidade misturada à bela paisagem parece dar outro ritmo aos dias. Além de aproveitar a praia e os igarapés, vá até as lagoas Verde e do Mário - contrate guias para conhecê-las (a pousada Rancho do Buna também organiza excursões). 
A pequena Vila de Pescadores na Paradisíaca Atins, maranhão

No Restaurante da Luzia você pode saborear um delicioso Camarão, em Atins, Maranhão


TUTÓIA 
Apesar da localização privilegiada, próxima ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e ao Delta do Parnaíba, a cidade ainda tem modesta estrutura turística. Mesmo assim, serve de base para conhecer a natureza das duas regiões. 
Praça da Matriz de Tutóia, maranhão
Praia da Andreza em Tutóia, Maranhão
SÃO LUÍS 
São Luís, a capital do Maranhão, tem muitas particularidades: é a única cidade do país fundada por franceses, tem a maior coleção de azulejos portugueses da América Latina e, apesar de pertencer ao Nordeste, fica juntinho da Amazônia. No Centro Histórico, as fachadas dos casarões, enfeitadas por delicados ladrilhos vindos da então Metrópole, permitem uma volta ao passado - é uma pena, no entanto, que a conservação desse patrimônio mundial decepcione. Mas a "Ilha do Amor", como São Luís é conhecida, também tem seu lado moderno, como lembram a movimentada Avenida dos Holandeses e os bares da charmosa Lagoa da Jansen. 
São Luís, a capital da Maranhão eh conhecida como a Ilha do Amor
São mais de 400 casarões colonias tombados em São Luís, Maranhão
Palácio do Leão eh a sede do Governo do Maranhão, em São Luís, Maranhão
SÃO JOSÉ DE RIBAMAR 
São José de Ribamar é o terceiro município mais populoso do estado brasileiro do Maranhão. Sua população é de 162.925 mil habitantes segundo censo do IBGE em 2010. Pertence à Região Metropolitana de São Luís. É um dos quatro municípios que integram a Ilha de São Luís. Situada no extremo leste da Ilha, de frente para a Baía de São José, dista cerca de 32 quilômetros do centro da capital maranhense. 
O nome da cidade é em homenagem ao padroeiro do Maranhão. Na cidade de Ribamar encontra-se um dos santuários mais importantes do Norte-Nordeste. 
Matriz de São José em São José de Ribamar, Maranhão
Monumento a São José em São José de Ribamar, Maranhão
CAXIAS 
É a terceira maior cidade do estado, com uma população de 161 137 habitantes e área de 5 150,667 km². Pertence à Microrregião de Caxias e é entrecortada por um manancial composto do rio Itapecuru e seus afluentes. É um dos maiores centros econômicos do estado graças a seu grande desempenho nos setores da indústria e um importante centro político, cultural e populacional do estado do Maranhão. 
Caxias tem uma arquitetura herdada do século XIX e início do século XX no estilo português, ainda conservando boa parte de seu patrimônio histórico. 
Caxias é conhecida como "terra das águas cristalinas", destacando-se como uma "cidade portadora de futuro", pois em seu entorno, gravitam muitos municípios sendo uma região entrecortada por um manancial composto do rio Itapecuru e seus afluentes, um riquíssimo lençol freático, muita vegetação e chuvas bem distribuídas ao longo do ano, favorecendo a indústria, o agronegócio e o turismo. 
Igreja de São Benedito em Caxias, Maranhão
Praça Gonçalves Dias em Caxias, Maranhão
Praça Vespasiano Ramos em Caxias, Maranhão
TIMON 
Timon é um município brasileiro do estado do Maranhão, com uma população de 164,869 habitantes, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2014. Está conurbado à capital do vizinho estado do Piauí, Teresina, fazendo parte da Região Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina. 
A cidade de Timon eh o Portal do Maranhão

CODÓ 
Possui uma área de 4.364,499 km², dos quais 4,452 km² estão em zona urbana e com população de 118.072 habitantes, de acordo com o IBGE em 2010, sendo então o quinto município mais populoso do Estado. É sede da Região de Planejamento dos Cocais. 

PAÇO DO LUMIAR 
Paço do Lumiar pertence à Região Metropolitana de São Luís. Possui uma população de 115. 693 habitantes, segundo Censo do IBGE em 2013. O município de Paço do Lumiar junto com Raposa, São José de Ribamar, Alcântara, Santa Rita, Rosário, Bacabeira e São Luís formam a maior metrópole do estado do Maranhão, também conhecida como Grande São Luís. 
Sede da Prefeitura Municipal de Paço do Lumiar, Maranhão
Igreja matriz de Paço do Lumiar, Maranhão
AÇAILÂNDIA 
É o oitavo município mais populoso do estado, com um total de 109.685 habitantes, segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2015. É sede da Região de Planejamento dos Carajás. 
O PIB de Açailândia em 2013 foi de R$ 1.578.986.000, tornando o município o 5º maior PIB do estado do Maranhão e possuindo, segundo o IBGE, em 2009, a 4ª colocação em renda per capita de seu estado: R$ 12.865,82 por habitante. 
A cidade é um importante polo agroindustrial, onde a exportação de ferro gusa, gerada por cinco indústrias siderúrgicas instaladas no município, se tornou sua principal fonte de renda. Também conta com diversos estabelecimentos comerciais, dos mais diversos ramos do comércio e serviços, e possui o maior rebanho bovino do estado. 
A cidade foi tema de reportagem especial da Revista Veja com “as 20 Metrópoles Brasileiras do Futuro” 
Centro Financeiro de Açailândia, Maranhão
foto - Fernando Cunha
Praça Patizal em Açailândia, Maranhão
Hotel em Açailândia, Maranhão
BACABAL 
Bacabal é um município brasileiro do interior do estado do Maranhão, Região Nordeste do país. Localizado a cerca de 240 km de distância da capital do estado, São Luís. A população do município é de 102.656 habitantes, segundo estimativa do IBGE em 2015, e 1.683 km². 
É município-sede da Região de Planejamento do Mearim. 
Academia Bacabalense de Letras em Bacabal, Maranhão
Câmara de vereadores de Bacabal, Maranhão
Catedral de Santa Teresinha em Bacabal, Maranhão
Centro da cidade de Bacabal, Maranhão
Praça Silva Neto em Bacabal, Maranhão
BALSAS 
O município se destaca pela agricultura mecanizada, sendo responsável por grande parte dos produtos agrícolas (principalmente a soja) que são levados para Porto Franco (MA) e Uruçuí (PI) para "esmagamento" da soja. 
Em 2013, seu PIB foi o 3º maior do estado, equivalente a R$ 2.513.786.000, atrás apenas de São Luis e Imperatriz. 
É sede da Região de Planejamento dos Gerais de Balsas. 
Rio das Balsas em Balsas, Maranhão
CONHECENDO O MARANHÃO
CENTRO HISTÓRICO DE SÃO LUÍS
Passear pelo Centro Histórico de São Luís e conhecer a história de cada beco e dos muitos casarões históricos é uma experiência encantadora. Além de propiciar uma viagem no tempo, o passeio nos traz a certeza da beleza e do charme dos 4 mil casarões, distribuídos por mais de 220 hectares, tombados como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco desde 1997. Os casarões seculares, em sua maioria, revestidos de azulejos portugueses pintados à mão, compõe um dos mais importantes conjuntos arquitetônicos de essência portuguesa ainda preservados da América Latina. 
Famosa Rua do Giz em São Luís, Maranhão
Formado pelos bairros da Praia Grande e Desterro, a região concentra hoje, museus, centros de cultura, teatros, cinema, bares, restaurantes, feiras e uma infinidade de lojas de artesanato. Estão ali também, praças, becos, escadarias, ladeiras e algumas das mais belas ruas da parte histórica da cidade, como as Ruas Portugal e do Giz e o Largo do Comércio. 
O Palácio dos Leões, sede do governo estadual, a Catedral da Sé, os palácios Episcopal, La Ravardiére e Cristo Rei, o Teatro Arthur Azevedo, entre muitos outros são um prato cheio para quem adora se perder na história dos anos de ouro de nosso país. Construídos pelos senhores que comandavam a produção de algodão na região, os solares e sobrados representam o apogeu econômico da cidade. 
Neste belíssimo cenário, a culinária também é atração. Não tem como não se deixar seduzir pelos sabores regionais do imperdível arroz de cuxá, da caldeirada de camarão e frutos do mar, dos sucos de bacuri e cupuaçu, além do tradicional doce de buriti. Foram tantos os temperos e influências de europeus, índios, africanos e outros povos, que a culinária maranhense só poderia dar no que deu: uma conjunção exuberante, inigualável de sabores e receitas. 
DELTA DAS AMÉRICAS / SANTUÁRIO ECOLÓGICO
Localizado a nordeste do Estado, na divisa com o Piauí, o Delta envolve a região sob influência do Delta do Rio Parnaíba, que tem setenta por cento da sua área no Maranhão. Tutóia, Paulino Neves e Araioses são os principais municípios. Deste último partem excursões turísticas para o Delta. 
Delta do rio Parnaíba 
O Delta do Parnaíba é o terceiro maior delta oceânico do mundo. Raro fenômeno da natureza que ocorre apenas no rio Nilo, na África, e Mekong, no Vietnã. Sua configuração se assemelha a uma mão aberta, onde os dedos representariam os principais afluentes do Parnaíba, que se ramificam formando um grandioso santuário ecológico. Rios, flora, fauna, dunas de areias alvas, banhos em lagoas e de mar são alguns atrativos que o lugar oferece. Inesquecível! 
Em Tutóia 
Praias do Arpoador e Namorados. 
Lagoas da Taboa, Jacaré, da Areia e Lagoinha. 
Artesanato em palha, couro, coco, chifre, linha e conchas. 
Em Araioses 
Praias do Farol, do Caju, dos Guarás e dos Poldros. 
Ilhas do Caju, dos Poldros, do Carrapato, Carnaubeiras e Canárias. 
Igreja de Nossa Senhora da Conceição, do século XIX. 
Cemitério indígenas Arayos, no povoado de Aldeia, a 20 quilômetros da sede. 
Artesanato de palha de carnaúba (chapéus, tapetes, abanos), madeira, cerâmica, ferro e tecido. 
PARQUE NACIONAL CHAPADA DAS MESAS 
Criado em 2005, o Parque Nacional da Chapada das Mesas é um dos mais novos parques nacionais do Brasil. Florestas de buritizais, sertões, relevo de chapadas vermelhas, compõem um estonteante conjunto de curiosas formações rochosas, cânions, cavernas e cachoeiras. São inúmeras as surpresas e aventuras que uma visita a esse parque pode revelar. 
Seu nome veio por conta de seus platôs, que lembram realmente o formato de mesas de pedra. Isso se deu devido aos paredões de rocha de arenito formados há milhões de anos. 
Este santuário ecológico de 160 mil hectares traz incontáveis espetáculos naturais, exemplares únicos do Cerrado brasileiro. Mas, sem dúvida, as cachoeiras e suas piscinas naturais de água cristalina com temperaturas amenas, em meio aos imensos paredões rochosos, são as grandes responsáveis pelo encanto que envolve o Parque. 
Pedra caída 
A 35 Km de Carolina, fica o santuário ecológico de Pedra Caída, um complexo que possui uma variedade de quedas d’água, sendo que a principal delas despenca de uma altura de 46 metros. O local oferece possibilidades de praticar diversos esportes radicais desde os mais leves aos mais pesados, como passeios em veículos traçados, caminhadas, rappel e tirolesa, lembrando que a de Pedra Caída é uma das mais altas e longas do país, atingindo 1.400 metros de comprimento e cerca de 300 metros de altura. 
O complexo também oferece estrutura de chalés e restaurantes. 
Trekking até Morro do Chapéu 
O trekking até o Morro do Chapéu é uma subida de 365m em rocha arenítica e, portanto, exige preparo físico e habilidade dos praticantes. É o ponto mais alto da Chapada. Esse passeio é ainda mais interessante pelas lendas místicas que envolvem o Morro do Chapéu. Dizem que o Morro era o principal ponto dos ritos indígenas da região. 
Bom saber 
(Visitas e práticas esportivas só podem ser realizadas devidamente acompanhadas por guias de agências especializadas em esporte de aventura). Recomendamos roupas leves, calçados próprios (tênis para trekking), uso de protetor solar e repelente de insetos, chapéus ou bonés e consumo de bastante liquido durante as caminhadas e atividades. 
foto - Fernando Cunha
TURISMO CULTURAL 
O Maranhão respira e exala uma cultura forte e autêntica. A singularidade da arquitetura de sua capital, reconhecida mundialmente, a memória histórica das suas cidades coloniais, a reverência cotidiana às suas crenças religiosas, seu folclore vivo, o colorido contagiante das suas festas, o sincretismo entre o profano e o religioso, o ritmo das suas músicas e a musicalidade de sua gente, a alma de sua poesia, os sabores da sua culinária, o artesanato que brota das mãos habilidosas dos seus artesãos e artistas. 
O carnaval eh uma festa muito popular no Maranhão, com desfile de agremiações em São Luís, Maranhão

Um destino que proporciona uma experiência cultural marcante, fruto de uma mistura rara: a herança de africanos, portugueses, indígenas, franceses e holandeses, a influência das rádios caribenhas, em um lugar que é meio Norte e meio Nordeste. E que acolhe, de um jeito espontâneo, festeiro e hospitaleiro, turistas vindos de toda a parte do Brasil e do mundo, dispostos a integrar este espetáculo de cores, sons, sabores e magia.

IGREJA DA SÉ E PALÁCIO EPISCOPAL 
Conta-se que no início da colonização, quando portugueses e franceses lutavam pelo domínio das terras, deu-se a Batalha de Guaxenduba (1614). Em menor número em comparação a La Ravardière, as forças de Jerônimo de Albuquerque ganharam o reforço de uma figura feminina que deu força aos combatentes, servindo-lhes pólvora que ela mesma fabricava com o pó da terra. 

Informações 
Endereço: Av. Pedro II, S/N – Centro 
Visitação: de terça a sábado, das 8h às 12h e das 14h30 às 17h30 
PALÁCIO DE LA RAVARDIÈRE 
Exemplo de prédios administrativos do período colonial, o Palácio de La Ravardière recebeu esse nome em 1962, por ocasião do aniversário de 350 anos da cidade. 
Foi construído por volta de 1689 e é um dos prédios mais antigos da região. Hoje abriga a sede do Governo Municipal e traz à frente o busto de bronze de Daniel de La Touche, Senhor de La Ravardière, comandante francês e fundador de São Luís. 
O Palácio Ravardiére eh a sede da Prefeitura Municipal em São Luís, Maranhão
foto - Fernando Cunha
Informações 
Endereço: Avenida D. Pedro II, ao lado do Palácio dos Leões. 
Visitação: somente visitação externa. 
PALÁCIO DOS LEÕES 
Com três mil metros quadrados de área construída, esculpido com o primor da arquitetura neoclássica e localizado em frente à Baía de São Marcos, o Palácio dos Leões serve de residência oficial e sede do Governo do Maranhão. 
Ficou conhecido como Palácio dos Leões (Forte de São Felipe) devido aos leões de bronze que guardam suas entradas. Erguido sobre o que um dia foi o Forte de São Luís, ganhou forma de palácio em 1776, quando o Governador Joaquim de Mello e Povoas remodelou a construção com materiais aproveitados da extinta casa dos jesuítas em Alcântara. Completamente restaurado, merece ser visto não apenas pela arquitetura e suntuosidade, mas também pelos tesouros artísticos e relíquias guardadas em seu interior. 
O Palácio dos Leões eh a sede do Governo do estado do Maranhão, em São Luís, maranhão
Informações 
Endereço: Av. Pedro II, S/N – Centro 
Visitação: de quarta a sexta, das 14h às 17h, sábados e domingos, das 15h às 17h 
TEATRO ARTHUR AZEVEDO 
O teatro mais famoso de São Luís é também um dos mais antigos do País. Conserva os traços neoclássicos originais que guardam mais de 200 anos de história e uma beleza comparável a poucos. 
Inaugurado em 1817, como Teatro União, foi só no século seguinte que finalmente ganhou o nome do grande mestre da dramaturgia brasileira. 
No começo dos anos 90, suas instalações e equipa- mentos foram reformados, transformando o teatro num dos mais modernos ambientes para a arte dramática do País. 
Informações 
Endereço: Rua do Sol, 180 – Centro 
Visitação: de terça a sexta, das 15h às 17h 
BUMBA-MEU-BOI 
Num espetáculo de cores, danças e ritmos, o Bumba-Meu-Boi é a expressão máxima da cultura popular do Maranhão. Elevado a Patrimônio Imaterial do povo brasileiro, a manifestação tem origens indefinidas, mas elementos culturais africanos e europeus, introduzidos principalmente por meio da religiosidade, são evidentes. Nas comunidades que fazem a brincadeira, as celebrações e o trabalho em torno da festa duram praticamente o ano inteiro. Um dos desafios é preparar o couro do boi, revestimento de camurça belamente decorado com canutilhos que recobrem o corpo do animal, pois é de bom tom que este seja renovado a cada temporada. Mas é durante os festejos juninos que ele reina absoluto, arrastando multidões e encantando quem assiste pela primeira vez suas apresentações. No Bumba-Meu-Boi do Maranhão a variedade de sotaques, ou ritmos, faz a diferença. 
Bumba meu boi faz parte da cultura Maranhense 
DANÇA DO CACURIÁ 
Surgiu como a parte profana das festividades do Divino Espírito Santo, uma das tradições juninas maranhenses. A parte vocal é feita por versos improvisados respondidos por um coro de brincantes. A representante mais conhecida do Cacuriá é Dona Teté do Cacuriá, de São Luís. 
PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES 
Criado em 1981, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses abrange 155 mil hectares de dunas, rios lagoas e manguezais. São dois tipos de cenários, dependendo da época do ano: durante a seca, o parque se transforma em um verdadeiro deserto banhado pelo oceano; com as chuvas, forma-se a paisagem clássica do lugar, uma incrível sequência de dunas e lagoas. Explorar toda essa imensidão de areia é uma experiência única e cansativa - leve água, chapéu, protetor solar, lanche e óculos de sol. 
Barreirinhas é a cidade mais estruturada no entorno da área de preservação, mas também há passeios a partir de Atins (leste) e Santo Amaro do Maranhão (oeste). 

MUSEU / CASA DE NHOZINHO 
O museu Casa de Nhozinho, no Centro Histórico de São Luís (MA), presta homenagem ao trabalho de Antônio Bruno Pinto Nogueira, o Nhozinho (1904-1974), um dos mais importantes artesãos maranhenses, mestre na talha de buriti e um dos primeiros a representar a festa do bumba-meu-boi em miniatura. 
Portador de uma doença degenerativa e cego de um olho, ele trabalhou até os 70 anos, quando morreu. Do acervo fazem parte também objetos tradicionais da cultura do estado, como bonecos gigantes, teares e instrumentos de pesca utilizados no interior. As visitas são guiadas. 
Endereço
Rua Portugal, 185 
Centro Histórico (Praia Grande) 
(98) 3218-9953 
www.turismo.ma.gov.br 
Horário de funcionamento: 
Aberto de terça-feira a sábado, das 9h às 17h30, e domingos, das 9h às 12h30. 
CULINÁRIA 
A cozinha maranhense sofreu influência francesa, portuguesa, africana e indígena. O tempero é diferenciado fazendo uso de ingredientes como cheiro-verde (coentro e cebolinha verde), cominho em pó e pimenta-do-reino. No Maranhão, é marcante a presença de peixes e frutos do mar como camarão, sururu, caranguejo, siri, pescada, robalo, tainha, curimbatá, mero, surubim e outros peixes de água doce e salgada. Além de consumir outros pratos como sarrabulho, dobradinha, mocotó, carne-de-sol, galinha ao molho pardo, todos acompanhados de farinha d'água. Da farta cozinha maranhense, destaca-se o arroz de cuxá, símbolo da culinária do Maranhão, feito com uma mistura de gergelim, farinha seca, camarão seco, pimenta-de-cheiro e o ingrediente especial - a vinagreira (hortaliça de origem africana muito comum no Maranhão). 

Dentre os bolos consumidos pelos maranhenses, podem ser destacados o bolo de macaxeira e o de tapioca. As sobremesas típicas da mesa maranhense são os doces portugueses e uma infinidade de doces, pudins e sorvetes feitos de frutas nativas como bacuri, buriti, murici, jenipapo, tamarindo, caju, cupuaçu, jaca... 
A juçara (ou açaí) é muito apreciada pelos maranhenses, consumida com farinha, camarão, peixe, carne-de-sol ou mesmo na forma de suco, sorvete e pudim. Dada a importância da juçara na cultura maranhense, é realizada anualmente a Festa da Juçara. 
A panelada, um cozido preparado a partir das vísceras da vaca, é popular em Imperatriz, segunda maior cidade no interior do estado, é oferecida em diversos pontos da cidade. 
VOCÊ SABIA? 
O estado tem a fama, entre os maranhenses, de ser o local onde se fala o melhor português do Brasil. No entanto, linguistas como Marcos Bagno e Pasquale Cipro Neto questionam esse título: o primeiro, por argumentar que nenhuma fala ou dialeto pode ser considerado melhor ou pior que outro; o segundo, por argumentar que tal título pertence, na verdade, à cidade do Rio de Janeiro 
O Guaraná Jesus eh o mais vendido no estado do Maranhão
ECOTURISMO 
Um encontro único entre a Amazônia e o Cerrado brasileiro. 
O segundo maior litoral do Brasil, com mares quase inexplorados do norte do país. Um Estado do Nordeste, mas que, também possui características da região Norte. Paisagens que mudam com os ciclos da natureza e ao sabor dos ventos. 
Só mesmo tamanha complexidade e privilégio natural, e uma mistura tão origina como brasileira, poderiam resultar em cenários e paisagens tão exclusivas e inusitadas como as dos destinos maranhenses. São lagoas perenes de águas cristalinas, um deserto de dunas à beira-mar, uma infinidade de rios, chapadões e cachoeiras, praias amazônicas e intocadas, campos alagados, florestas e manguezais, parques nacionais, o único delta em mar aberto das Américas. 
O Maranhão é um destino naturalmente surpreendente, que fascina pelas belezas cinematográficas e contrastantes, pela riqueza da biodiversidade, pelo contato com os povoados que têm esses cenários no quintal. Visitar o Maranhão é praticar o ecoturismo no seu estado mais puro. 
PRAIAS E PASSEIOS NÁUTICOS 
Além do Centro Histórico repleto de casarões e calmaria, as praias de São Luis são um espetáculo à parte. O Maranhão possui cerca de 640 km de extensão, o que o torna o segundo maior litoral do Brasil, ou seja, tudo conspira para uma das melhores experiências de sol e praia que quem visita o Maranhão pode ter. 
A ilha de São Luís oferece algumas das mais belas praias de nosso litoral, com larga faixa de areia, mangues, dunas, vegetação rasteira e orlas urbanizadas. São dezenas de opções de bares e quiosques que servem os mais variados pratos e bebidas. Nossas águas tranquilas são propícias aos esportes náuticos como surfe, kitesurf, windsurf e vôos de ultraleve. 
Algumas das praias da ilha são: 
Praia da Guia
Fica no lado oeste da ilha, tem larga faixa de areia, mangues, dunas e vegetação rasteira. Sua localização permite uma vista panorâmica da parte histórica de São Luís. Embora a Guia fique distante apenas 2,5 Km do centro da cidade, trata-se de uma praia deserta. 
Praia da Ponta D’Areia
Muito frequentada por ser distante do centro apenas 3,5 Km, e famosa pelos clubes de reggae instalados à beira-mar. Recentemente ganhou mais um atrativo. Além da água morna e do espaço para praticar esportes, o Espigão se tornou o ponto turístico mais indicado para a apreciação do pôr-do-sol. 
Praia de São Marcos (Marcela)
Praia preferida pelos adeptos da prática de atividades físicas, oferece calçadão para caminhadas e corrida, pedalada e esportes náuticos como o kitesurf e o surfe. Situa-se na entrada da Baía do mesmo nome, a 5 Km do centro. Conta com diversos bares e com barracas padronizadas. 
Praia do Calhau
Praia tranquila, com ondas fracas, areia amarela e fina, dunas e pequenos morros. Presença de várias casas de veraneio, bons bares, restaurantes, sorveterias e hotéis. Fica a 9 Km do Centro. 
Praia do Caolho
Trecho entre a praia do Calhau e a do Olho d’Água, conta com diversos bares, restaurantes, sorveterias e hotéis. O acesso é pela Av. Litorânea ou pela Av. Daniel de La Touche,a 7,5 Km do Centro. 
foto - G. Ferreira
Praia do Olho D´Água
Praia tradicional e uma das mais bonitas de São Luís, situada a 10 Km do centro, possui faixa larga de areia branca e fina, ondas na primeira metade do ano, dunas que chegam a atingir mais de 10 metros de altura, morros e falésias. É bastante procurada para prática de pesca de molinete. Conta com diversos bares e restaurantes.
Praia do Meio
Praia de areias amareladas e batidas, ondas fortes no verão, quando a água fica mais clara. Fica entre as praias do Olho d’Água e do Araçagi (Município de Paço do Lumiar), a 18,5 Km do Centro. Possui iluminação na orla. Propícia para prática de windsurf e vôos de ultraleve. 
EXPERIÊNCIA DE BASE COMUNITÁRIA 
Povoado de Mandacaru 
Vila de pescadores que tem como maior atração o farol de 54 metros de altura. Subir requer um pouco de resistência, mas o sacrifício vale a pena. Lá de cima se tem uma das mais belas vistas dos Lençóis e do Rio Preguiças. Em Mandacaru, pode-se ainda saborear um delicioso peixe na brasa e comprar artesanato de fibra de buriti. As artesãs passaram por diversos processos de capacitação e hoje comercializam seus objetos para todo o Brasil. É encantador ouvir suas histórias de vida. 
Povoado e Canto de Atins 
Para quem acha que a felicidade está nas coisas mais simples, Atins é um verdadeiro idílio para experiências únicas e exclusivas. Um povoado de pescadores em um lugar privilegiado: em meio às dunas dos Grandes Lençóis, nas proximidades das lagoas Azul e Bonita, e delimitado pela Praia e pelo Rio Preguiças. 
Para visitar em um dia, ou para passar a noite, vale a pena chegar e saborear os pratos à base de peixes e camarão, pescados ali mesmo e feitinhos na hora, além de descansar nas redes contemplando a natureza. Há pousadinhas caseiras em que é possível dormir em chalés ou em redes como os nativos. 
Chegando de barco pelo Rio Preguiças, a vantagem é fazer passeios pelos igarapés, explorar a região e conhecer as histórias de vida dos moradores, sem nenhuma pressa. 
TURISMO DE AVENTURA 
Geografia privilegiada com chapadas, rios, cachoeiras, deserto e uma extensa costa litorânea faz do Maranhão um destino incomparável para quem procura aventura em cenários naturais, exclusivos e surpreendentes. Desde o trekking pelas dunas do Parque dos Lençóis Maranhenses, passando pela canyoning e rapel na Chapada das Mesas e o surf na pororoca do Rio Mearim, a natureza parece desafiar a curiosidade daqueles que gostam de um pouco mais de adrenalina. 
PRÁTICAS VERTICAIS: RAPEL, CANIONISMO E TIROLESA 
Carolina 
Santuário Ecológico de Pedra Caída 
A 35 Km de Carolina, fica o santuário ecológico de Pedra Caída, um complexo que possui três quedas d’água, sendo que a principal delas despenca de uma altura de 46 metros. A emoção maior é caminhar no interior de um majestoso cânion para apreciar e mergulhar no poço que se forma lá embaixo. O local oferece possibilidades de praticar diversas atividades de aventura, desde as mais leves às mais pesadas, como passeios em veículos traçados, caminhadas, rapel e tirolesa, lembrando que a de Pedra Caída é uma das mais altas e longas do país, atingindo 1.200 metros de comprimento e cerca de 200 metros de altura. 
TREKKING E EXPEDIÇÃO FOTOGRÁFICA 
Barreirinhas e Santo Amaro do Maranhão 
Trekking no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses 
Atravessar o Parque Nacional dos Lençóis e enfrentar suas areias fofas, o sol e o calor, exige bastante preparo físico. Os percursos iniciam de madrugada para evitar a exposição ao sol mais quente, que começa por volta das 10h. Os roteiros variam e podem durar de 2 a 5 dias, dependendo do trajeto percorrido, e incluem paradas nos povoados do parque. 
Podem começar por Atins, parando em Baixa Grande. O percurso direto leva seis horas de caminhada. Daqui, seguir até Queimada dos Britos, em cerca de 3h de caminhada e, de madrugada ou na manhã seguinte, partir rumo a Santo Amaro. 
Todo o trajeto de travessia, desde Atins, é feito entre dunas que podem chegar até 40 metros de altura com suas curvas insinuantes e lagoas de águas cristalinas e transparentes e tonalidades que variam do azul ao verde. 
A aventura, em um cenário tão raro e acompanhada da vivência nestes povoados, é uma experiência inigualável. 
foto - Territorios.com.br
Expedições Fotográficas nas Dunas dos Pequenos Lençóis 
Os Pequenos Lençóis correspondem a uma Área de Proteção Ambiental na zona de amortecimento do Parque Nacional. Entre os equipamentos imprescindíveis, quando se decide atravessar esse deserto, estão filmadoras e câmeras fotográficas. As paisagens são impressionantes e as imagens que serão captadas ali serão únicas. 
foto - Alex Uchoa
VOO MOTOR 
Sobrevoar o Parque Nacional do Lençóis é uma oportunidade única para fazer registros e se emocionar. Primeiro, vê-se uma imensidão de areia. Os Lençóis começam a aparecer estendidos ao vento. As lagoas surgem com suas diferentes cores que variam do verde esmeralda a uma infinidade de azuis. Na época da seca o mar de areia, muitas vezes, assume tons dourados e rosados refletindo o pôr do sol. Sobrevoar os Lençóis é poder presenciar um ângulo raro de beleza e encantamento quando o nome do Parque faz todo o sentido. Os sobrevoos duram cerca de 30 minutos inesquecíveis e devem ser agendados previamente com as agências de receptivo. 
BOIACROSS 
Boia cross no Rio Cardosa 
Com águas cristalinas e cercado por buritizais, o Rio Formiga, no povoado de Cardosa, próximo a Barreirinhas, é mais uma das atrações dos Lençóis. 
Ideal para relaxar apenas tomando banho ou aproveitando para praticar o boia cross, uma descida divertida no rio lento, raso e cristalino. Dica de aventura leve, que garante uma hora de puro divertimento. 
SURFE E KITESURFE 
São Luís e São José de Ribamar 
São Luís e sua vizinha São José de Ribamar são ótimos destinos para esportes aquáticos que necessitam do vento como o kitesurfe. O motivo? Venta muito!!! 
Vale a pena passar uns dias velejando nas ondas nas praias do Meio, Araçagy e São Marcos. 
foto - Alex Uchoa

Arari 
Surf na Pororoca
Etapa do Campeonato Brasileiro de Surf na Pororoca 
O grande volume de água do Rio Mearim, em Arari, preocupa os moradores ribeirinhos, mas faz a alegria de quem pratica o surf na pororoca, principalmente no primeiro semestre do ano que é a temporada das melhores ondas. Chegar até a pororoca do Rio Mearim inclui 20 minutos de trilha pela mata até o Curral da Igreja, ponto de concentração das embarcações, e mais 30 minutos de barco até encontrar o fenômeno de maré. 
Como chegar
Arari fica a apenas 155 km da capital. Partindo de São Luís, de carro, pela BR 135 até Miranda e, em seguida, pela BR 222. Ônibus partem diariamente da rodoviária de São Luís com destino ao município, que fica à beira da rodovia. 
OPÇÕES DE HOSPEDAGEM 
HOTEL PESTANA / SÃO LUÍS 
Av. Avicênia, 1 (Praia do Calhau), 7 km 
Praia do Calhau 
(98) 2106 0505 
pestana.com 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
Possui decoração leve, com tons coloridos claros. Os quartos localizados no térreo contam com saída direta para a piscina. O hotel tem área com hidromassagem e salas de massagem, além de um bar de apoio à piscina. Uma agência de turismo, dentro do hotel, auxilia os passeios dos hóspedes. 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
POUSADA MARISIA / ATINS 
R. Principal, s/n 
maresia-atins.com 
Recém-inaugurada, vende aulas de kitesurfe para os hóspedes - quem não tem equipamentos próprios paga R$ 100 por hora. Imigrantes italianos, os donos começaram a vida em Atins não com a pousada, mas sim na única pizzaria do vilarejo, que ainda funciona junto à hospedagem. 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
PORTO PREGUIÇAS RESORT / BARREIRINHAS 
Estr. do Carnaubal, s/n (Carnaubal), 2 km 
Carnaubal 
portopreguicas.com.br 
O resort grafado no nome não aparece à toa. São duas piscinas: uma tem fundo de areia; a outra, água natural bombeada do Rio Preguiças. Há caiaques para passeios e uma praia de água doce. Cancha de bocha e quadra de vôlei de praia são outros espaços para gastar as energias. E tudo está incluso no valor da diária. Construiu, recentemente, sete novos quartos, para até quatro pessoas.
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
ESTA EH A BANDEIRA DO ESTADO DO MARANHÃO
ESTE EH O BRASÃO DO ESTADO DO MARANHÃO


fonte / fotos = IBGE / viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Portal do Governo do Maranhão / Divulgação / Secretaria de Turismo do maranhão / matraqueando.com.br / 


Valeu pela visita. Sempre volte