Pular para o conteúdo principal

PARAÍBA / BRASIL -




CONHEÇA O ESTADO DA "PARAÍBA", BRASIL
Praia de cabo branco em João pessoa, PB
foto - Cacio Murilo
O estado da Paraíba tem uma capital bem organizada, arborizada e que vem atraindo a atenção dos vizinhos Pernambuco e Rio Grande do Norte. Em João Pessoa, a terceira cidade mais antiga do país, uma boa caminhada pelo seu centro histórico revela belos conjuntos arquitetônicos, como a Igreja Nossa Senhora do Carmo, do século 18, e o Casarão de Azulejos, de fachada revestida de cerâmica portuguesa. É ali também que fica uma das melhores atrações da cidade: o Centro Cultural São Francisco, complexo histórico com igreja e capela em estilo barroco, dois museus, fonte e um relógio de sol. Para percorrer a orla, de norte a sul da cidade, o ideal é contratar um passeio de bugue ou van. Na parte urbana, Tambaú tem calçadão, gameleiras floridas, quiosques animados e passeios de barco para as piscinas naturais de Picãozinho, com corais e peixes coloridos a 2 quilômetros da costa. Mas é no município de Conde, pouco mais de 20 quilômetros ao sul de João Pessoa, que ficam duas joias do litoral paraibano, Coqueirinho e Tambaba. A última, além da beleza das falésias, restinga e coqueiros, guarda a curiosidade de abrigar em uma parte de sua extensão a primeira praia de nudismo do Brasil.
O Mais importante conjunto de arte barroca da Paraíba está no Cultural São Francisco, em João Pessoa (PB) (Ricardo Freire)
A Praia Tambaba, em João Pessoa (PB), não chama a atenção apenas por ser o ponto de encontro de nudistas. Cercada de falésias, vegetação de restinga e coqueiros é uma das mais belas da região (Hans Von Manteuffel)
A Praia do Coqueirinho em Conde (PB) fica na enseada com coqueiros, rochas e fontes (Hans Von Manteuffel)
O Conjunto Cultural São Francisco é formado pela Igreja de São Francisco, capela e Convento de Santo Antônio (Bia Parreiras)
Em junho, mais de 1 milhão de pessoas prestigiam a festa junina de Campina Grande (PB), com apresentação de cerca de 300 quadrilhas (Cesar di Casario)
Igreja Nossa Senhora do Carmo em João Pessoa (PB) (Eduardo Queiroga)
A Ilha de Areia Vermelha no município de Cabedelo na orla de João Pessoa (PB) pode ser frequentada na maré baixa, quando surge, no meio do mar, uma superfície formada por arenitos e aparecem piscinas naturais no seu entorno, que acolhem grande biodiversidade marinha(Divulgação)
O Rio Gramame deágua na praia da Barra de Gramame, que tem areia branca, falésias e uma boa estrutura turística (Toddy Holland)
A Igreja de Santo Antônio fica no Centro Cultural de São Francisco, a principal atração do centro histórico de João Pessoa (PB) (Hans Von Manteuffel)
A cozinha paraibana é vigorosa e calórica, mas não é à toa: o costume por lá é levantar cedo e trabalhar muito. O cardápio é extenso: baião de dois, carne de sol, feijão verde, fava, buchada de bode e sarapatel, etc (Bia Parreiras)
Peças de cerâmica, madeira rendas, roupas de algodão colorido e cachaças dominam boa parte do Mercado de Artesanato Paraibano (MAP) em João Pessoa (PB). A foto mostra a loja Algodão de Cor instalada no MAP (Bia Parreiras)
Situada no Sítio arqueológico Itaquatiara em Ingá (PB), a Pedra de Ingá tem 24m de extensão e quase 4m de altura com gravuras atribuídas às populações indígenas (Roberto Ostrovski)
A primeira praia da Orla de João Pessoa (PB), a Praia do Cabo Branco, tem seu trecho mais tranquilo ao lado direito (Hans Von Manteuffel)
Foi outra nudez, a dos índios potiguaras, que os portugueses encontraram no século 16 ao dar início à colonização do território que hoje é a Paraíba. Na Baía da Traição, vila de pescadores quase 90 quilômetros ao norte da capital, ainda há povoados indígenas, que podem ser visitados com a autorização da Funai. A aldeia de São Miguel, a mais perto do centro da Baía da Traição, é alcançada numa caminhada de menos de meia hora, passando por uma paisagem de pastos, árvores e uma pequena ponte sobre o Rio Sinimbu. E a Paraíba tem outras surpresas para quem se prontifica a se afastar de seu litoral, caso do Parque Estadual Pedra da Boca e suas gigantescas formações rochosas, perto da divisa com o Rio Grande do Norte, e o Vale dos Dinossauros, no município de Sousa, um sítio paleontológico com pegadas fossilizadas de animas pré-históricos, já atraem turistas mais aventureiros para o sertão paraibano. Mas é Campina Grande, no agreste, que, pelo menos em junho, compete com João Pessoa como polo de atração de visitantes. Nessa época, mais de 300 quadrilhas se apresentam na cidade, fazendo o que o orgulhoso povo paraibano chama de o melhor São João do mundo.
A Praia Barra do Grau, em Conde (PB), tem poucas construções, um grande trecho deserto com falésias e uma lagoa boa para banho (Ricardo Freire)
A terceira capital mais antiga do país, João Pessoa (PB) impressiona pela riqueza do conjunto arquitetônico de seu Centro Histórico (Hans Von Manteuffel)
Todos os dias na Praia do Jacaré, em João Pessoa (PB), quando o sol começa a se esconder no horizonte, Jurandy do sax começa a tocar o Bolero de Ravel enquanto atravessa um trecho do Rio Paraíba (Hans Von Manteuffel)
A maior Festa de São João do mundo acontece em Campina Grande (PB). Mais de um milhão de pessoas rumam para a Praça do Povo para acompanhar o concurso de quadrilhas, dançar forró e se deliciar com as comidas típicas de uma festa junina pra lá de animada (Rafael Campos)
A maior Festa de São João do mundo acontece em Campina Grande (PB). Mais de um milhão de pessoas rumam para a Praça do Povo para acompanhar o concurso de quadrilhas, dançar forró e se deliciar com as comidas típicas de uma festa junina pra lá de animada (Rafael Campos)
O passeio pelo Centro Histórico de João Pessoa (PB) fica melhor se for feito à tarde, quando a maioria das atrações está aberta. Vá a pé, pois as vias no centro são confusas para circular de carro (Eduardo Queiroga)
Em uma região marcada por praias desertas, falésias e rios, o vilarejo da Baía da Traição (PB) conta com pousadas simples e povoados indígenas nos arredores (Milton Shirata)
A Praia Ponta do Seixas, em João Pessoa (PB), se localiza entre as praias do Cabo Branco e do Seixas (Roberto Ostrovski)
O Vale dos Dinossauros tornou a cidade de Sousa (PB) um destino turístico no meio do Sertão. O sítio arqueológico preserva pegadas desses gigantes que habitaram a Terra a milhões de anos(Roberto Ostrovski)
Inscrições rupestres e trilhas que passam por formações rochosas curiosas são as atrações do Lajeado do Pai Mateus, em Cabaceiras (PB) (Gilvan Barreto)
Lajeado do pai Mateus, em Cabaceiras (PB) (Roberto Ostrovski)
Quadrilha Tradição da Serra se apresentando na Pirâmide do Parque do Povo durante a festa de São João, em Campina Grande (PB) (Cesar di Cesário)
A terceira cidade mais antiga do Brasil, João Pessoa (PB), tem um centro histórico que impressiona pela riqueza (Zé Marques)
A praia Tambaba, Conde (PB), ficou famosa após se tornar a primeira praia oficial de nudismo do Nordeste (Ricardo Freire)
SÍNTESE
Capital - João Pessoa 
População estimada 2016 - 3.999.415 
Área 2015 (km²) - 56.468,427 
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 66,70 
Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (Reais)(1) - 776,00 
Número de Municípios - 223 
HISTÓRICO 
A Paraíba é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Localiza-se no leste da Região Nordeste. A capital e cidade mais populosa é João Pessoa. Outros municípios com população superior a cem mil habitantes são Campina Grande, Santa Rita, Patos e Bayeux. As principais atividades econômicas são a agricultura (cana-de-açúcar, abacaxi, mandioca, milho, feijão), a indústria (alimentícia, têxtil, de açúcar e álcool), a pecuária e o turismo. 
A capitania da Paraíba foi uma capitania ultramarina portuguesa no Brasil criada por direito em 1574, mas de fato só conquistada mais de uma década depois, pois fazia originalmente parte da América Francesa e suas feitorias, a exemplo de Forte Velho e Baía da Traição), com a suposta extinção da capitania de Itamaracá, a qual só foi extinta na segunda metade do século XVIII, e que tinha como sede Goiana. 
Nas primeiras décadas do século XVII, os franceses já foram responsáveis pela ocupação da região e pelo estabelecimento das relações que tinham com o grupo étnico indígena potiguares. Somente em 1585 João Tavares foi o fundador, na foz do rio Paraíba, do forte São Felipe, para favorecer a defesa da área. A paz com os indígenas se alcançou em 1599. Apesar disso, uma epidemia de varíola foi a causa de morte da população autóctone. De 1634 a 1654, os neerlandeses ocuparam a região. André Vidal de Negreiros expulsou os neerlandeses. Os novos indígenas apresados nos anos posteriores constituíam num agente provocador das revoltas. Estas revoltas foram responsáveis pelo reforço de uma intervenção militar que ocorreu na metrópole. No ano de 1753, a Paraíba foi anexada à capitania de Pernambuco, da qual teve seu novo desmembramento em 1799, recuperando sua autonomia política e existindo como unidade política separada desde então. A Paraíba foi participante da Revolução Pernambucana de 1817 e da Confederação do Equador (1825). No ano de 1930, Getúlio Vargas indicou João Pessoa como vice-presidente do Brasil. Naquela época administrou como governador do estado. 
praia do Amor em Conde, PB
foto - Cacio Murilo
FILHOS ILUSTRES
A Paraíba é berço de vários notáveis poetas e escritores brasileiros como Augusto dos Anjos, José Américo de Almeida, José Lins do Rêgo, Pedro Américo (este mais conhecido por suas pinturas de cenas da História nacional), Assis Chateaubriand (mais conhecido por ter fundado os Diários Associados, a TV Tupi e o MASP), Ariano Suassuna, entre muitos outros. O estado também deu origem a um dos economistas mais influentes da história latino-americana: Celso Furtado. 
Ariano Suassuna nasceu na Cidade da Paraíba (hoje João Pessoa), capital da Paraíba (Parahyba em ortografia arcaica), filho de Rita de Cássia Vilar e João Urbano Pessoa de Vasconcelos
foto - ?
TURISMO 
Outra importante fonte de renda econômica na Paraíba é o turismo. Eleito melhor destino nacional do ano em 2013, cerca de um milhão de turistas que visitam o estado todos os anos. 
Convento de São Francisco em João pessoa na Paraíba
Centro Histórico de João Pessoa, PB
Bairro Altiplano em João Pessoa, PB
ATRATIVOS TURÍSTICOS 
Outros importantes atrativos turísticos naturais e culturais do interior paraibano são: na região agreste, a Cachoeira do Roncador (nos municípios de Bananeiras e Borborema), o Memorial Frei Damião (em Guarabira), a Pedra da Boca (em Araruna), a Pedra do Ingá (em Ingá); na região da Borborema, o Lajedo de Pai Mateus (em Cabaceiras); no sertão, O Melhor São João do Mundo (em Patos), a Estância Termal de Brejo das Freiras (em São João do Rio do Peixe) e o Vale dos Dinossauros (em Sousa).
Barragem Doutor Estevam Marinho, principal açude da Paraíba, transbordando durante um período chuvoso
Cidade de Cabaceiras, apelidada de Roliúde Nordestina, é também o município onde menos chove no país.
Cajazeiras no extremo oeste do estado é apelidada de -a terra que ensinou a Paraíba a ler-, tendo sido fundada nos alicerces de um estabelecimento de ensino
MAIOR SÃO JOÃO DO MUNDO 
Maior São João do Mundo, evento que acontece na cidade de Campina Grande. É um dos maiores eventos do estado da Paraíba, atraí mais de 2 milhões de pessoas durante um mês de festividade no Parque do Povo. 
APOSTANDO NO TURISMO 
A capital paraibana é considerada porta de entrada para o turismo no estado da Paraíba. Desde 1970, com a construção do Hotel Tropical Tambaú, João Pessoa investiu bastante no setor turístico, o que contribuiu com o desenvolvimento comercial na orla da cidade. Tendo como principal cartão-postal o Parque Sólon de Lucena, João Pessoa possui 37 quilômetros de praias, como as de Bessa, Manaíra e Penha e Tambaú, além de um vasto acervo cultural e construções históricas, desde construções mais antigas no centro histórico (como a Casa da Pólvora, o Centro Cultural São Francisco, o cruzeiro monolítico, a Igreja de Nossa Senhora do Carmo e o mosteiro de São Bento), até as mais recentes (tais como o Hotel Globo e o Teatro Santa Rosa), além de contar com a segunda maior reserva de Mata Atlântica do Brasil localizada em área urbana. Ainda em João Pessoa está localizado o Espaço Cultural José Lins do Rego, no bairro de Tambauzinho, construído em uma área de 55 000 m³, onde funciona o primeiro planetário da região Nordeste, além de ocorrerem apresentações culturais, exposições e feiras. 
Cidade de Campina Grande na Paraíba
Catedral de Nossa Senhora da Piedade, na cidade de Cajazeiras, sé episcopal da diocese.
Campus da Universidade Federal de Campina Grande na cidade de Pombal.
MUSEU DE ARTE POPULAR 
O Museu de Arte Popular da Paraíba, localizado em Campina Grande, é a última edificação contemporânea finalizada em vida pelo arquiteto Oscar Niemeyer. 
O INTERIOR 
No interior, destaca-se Campina Grande, que, juntamente com João Pessoa, abriga os principais eventos realizados na Paraíba, como O Maior São João do Mundo, o Micarande, o festival de Inverno, o Encontro da Nova Consciência, além de contar com hotéis e diversos outros atrativos, como o Museu de Arte Assis Chateaubriand, o mais famoso da Paraíba. 
Estação Ferroviária da cidade de Campina Grande, PB
Centro Histórico na cidade de João Pessoa na Paraíba
Início da rodovia Transamazônica (BR-230) na cidade de Cabedelo
O SERTÃO 
O Sertão Paraibano é detentor de uma diversidade histórica, cultural e paisagística como em nenhum outro lugar do país e do mundo. Apresenta um clima semi-árido com belas serras de formações geológicas e arqueológicas desvendando um excelente lugar para a prática de esportes radicais, com temperatura média entre 28 a 35 graus.
São vários os pontos turísticos potenciais que se estende pelo sertão paraibano. Destaques para o Vale dos Dinossauros, em Sousa; a Fazenda Acauã, em Aparecida e a Estância Termal Brejo das Freiras, em São João do Rio do Peixe. E ainda, outras quinze cidades: Cajazeiras, Coremas (terra das águas); Maturéia, onde existe o Pico do Jabre com 1197m, o mais alto do Estado; Patos; Piancó, Pombal; São Bento (terra das redes); Santa Luzia; São Mamede; Teixeira; Triunfo e Vieirópolis.
Interior do Convento Santo Antônio na cidade de João Pessoa, PB
Lagoa do Parque Sólon de Lucena, cartão postal da capital João Pessoa.
Palácio da Redenção, sede do poder executivo da Paraíba.
CARIRI
O Cariri é um dos destinos turísticos mais procurados do interior paraibano, onde são encontrados atrativos paisagísticos e culturais em toda a região, que abrange 29 municípios. A economia caririzeira esta voltada para a criação do bode. Mas existe outras culturas como do algodão tradicional, e os novos cultivos do algodão colorido in natura introduzido nos últimos anos.
Nesta região é possível conhecer sítios arqueológicos com inscrições e figuras rupestres da Tradição Agreste e Itacoatiara. A região também é lembrada pelos lajedos, pedras furadas e os mares de pedras. O Lajedo do Pai Mateus, no município de Cabaceiras, está consolidado como um dos mais importantes destinos turísticos no interior da Paraíba.
Panorama de Baía da Traição, no litoral norte, o quarto município mais indígena do Brasil.
Parque Estadual da Pedra da Boca, noa cidade de Araruna.
Cidade de Patos, maior centro econômico do sertão da Paraíba e a quinta maior economia do estado
BREJO 
O Brejo paraibano compreende um conjunto de paisagem serrana com altitude media de 550 m e temperaturas oscilando entre 12 e 18 graus no período de junho a agosto. Um cenário de clima frio, repleto de rios, cachoeiras, trilhas e mata atlântica, além , patrimônio histórico das cidades centenárias que promovem eventos e a prática de outros segmentos do turismo como: aventura, ecoturismo, religioso, histórico cultural, negócios, entre outros. Uma viagem na história desta região leva aos tempos áureos dos engenhos de cana de açúcar, permite ao visitante degustar produtos feitos na hora e participar da produção. 
No seu rico patrimônio histórico, encontramos: teatros, engenhos, museus, ladeiras e casarões que contam a historia do nosso Estado. Sempre acompanhados da hospitalidade brejeira e da rica gastronomia, acompanhada das melhores cachaças da Paraíba. A região é berço de renomados artistas como o artista plástico Pedro Américo, o músico Jackson do Pandeiro, o escritor José Américo de Almeida, e a líder sindical Margarida Alves, entre outros nomes. Anualmente a região promove a Rota Cultural Caminhos do Frio (que envolve vários municípios da região), o Festival de Artes de Areia e o Festival Sabores e Saberes.
Ponta dos Seixas, vista do farol do Cabo Branco, o ponto mais oriental das Américas, em João Pessoa.
Prédio Governador Ernani Sátyro, onde está localizada a Assembleia Legislativa da Paraíba, sede do poder legislativo estadual
Rio Paraíba na cidade de Itabaiana
LITORAL
O litoral paraibano tem uma extensão de 138 Km, desde o estuário do rio Grajú (ao Norte, limitando-se com o Rio Grande do Norte) até outro estuário, do Rio Goiana ao Sul, limitando-se com Pernambuco). Com um clima tropical úmido, chuvas no inverno e parte do outono, possui cerca de 55 praias naturais e urbanizadas, onde as suas areias claras, mar verde-azulado é incrementado por suaves enseadas, barras, estuários, restingas, cordões litorâneos, tabuleiros, falésias e salpicada, em vários trechos, por coqueiros, cajueiros, maçarandubas
Teatro Santa Rosa, em João Pessoa, o mais importante da Paraíba
Tribunal de Justiça da Paraíba, sede do poder judiciário.
Vale dos Dinossauros, em Sousa, no sertão.
ESTA EH A BANDEIRA DO ESTADO DA PARAÍBA, BRASIL
ESTE EH O BRASÃO DO ESTADO DA PARAÍBA, BRASIL



fonte / fotos = IBGE / Thymonthy Becker / Wikipédia / Porta do Governo da paraíba / viajeaqui.abril.com.br / 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIANÓPOLIS / TOCANTINS - Berço cultural do estado, tem mais à oferecer, cascatas, cachoeiras, museu e "garganta"; platô da serra geral com cânions e mirantes

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "DIANÓPOLIS" / TOCANTINS / BRASIL DIANÓPOLIS
BEM VINDO A CIDADE DE DIANÓPOLIS. CIDADE DO DIANOFOLIA
imagem - ? População estimada 2016 (1) - 21.457
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.217,313
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,94
Código do Município 1707009
Gentílico - dianopolino
ORIGEM DO NOME DE DIANÓPOLIS, TO
A origem do nome "Dianópolis" está relacionada a Francisco das Chagas Moura, que foi prefeito do município entre os anos de 1934 a 1938. Então, a cidade chamava-se "São José do Du•ro". "Duro" era uma simplificação de "D´ouro", uma vez que a região era rica em ouro em seu subsolo. Quando prefeito, Francisco Moura indicou que a cidade fizesse uma homenagem às senhoras do lugar que chamavam-se "Custodiana", conhecidas pela alcunha de "Diana". Daí a indicação da cidade passar a chamar-se "Dianópolis", quer dizer, "Terra das Dianas".
Gentílico: …

CATAGUASES / MINAS GERAIS - Venha ver e fazer filmes nesta cidade cinematográfica. Deixe saudades e leve lembranças

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "CATAGUASES" / MINAS GERAIS / BRASIL “O nome Cataguases vem – pelo menos, até provas em contrário, pois muitas são as controvérsias nessa cidade em constante questionamento – , pois é, o nome Cataguases parece que vem de uma tribo de índios que habitava a região, os ‘Catu-auás’. Dizem que o nome catu-auá significa em tupi-guarani ‘terra de gente boa’. E Cataguases sabe receber muito bem. Quem bebe da água do Rio Pomba nunca deixa de voltar. Dizem. ” Confira alguns dos mais importantes pontos turísticos de Cataguases. Além de inúmeras obras artísticas e arquitetônicas modernas tombadas pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Cataguases também oferece inúmeras construções marcantes do final do século XIX, belíssimas paisagens naturais, museus, centros culturais e muito mais! PONTE METÁLICA (DE 1.914) A construção da Ponte Metálica foi determinada em 1910, devido à solicitação do deputado federal Astolpho Dutra Nicácio. Ela…

BRAGANÇA / PARÁ - A cidade respira Fé, Tradição e Cultura, nas belezas de suas praias, manguezais, rios, igarapés e ilhas

LINHA DO TEMPO DA CIDADE DE "BRAGANÇA" / PARÁ / BRASIL  Bragança, localizada na região nordeste do Pará, a 210 quilômetros de Belém, capital do Estado, é um dos municípios mais procurados pelos turistas ao longo do ano, em especial durante as férias escolares.
Lar da Marujada, manifestação cultural que reúne milhares de pessoas no município para festejar São Benedito, Bragança tem praias oceânicas belíssimas, pra quem quiser aproveitar em qualquer época do ano.

A cidade, de origem portuguesa, guarda na sua cultura características religiosas marcantes e também festeja São Sebastião e Nossa Senhora de Nazaré.
Suas fronteiras são estratégicas. Assim, o município oferece o maior número de opções aos turistas: ao Norte está o oceano Atlântico, ao Sul, o município de Santa Luzia do Pará, a Leste os municípios de Augusto Corrêa e Vizeu e a Oeste, Tracuateua.

Na língua tupi, Caeté quer dizer 'mato grande' e, por estar localizada à margem esquerda do rio Caeté, Bragança é c…